Fraldas e Desfralde

"A CRIANÇA TAMBÉM TEM QUE ESTAR MADURA PSICOLOGICAMENTE"

 

Quais são os sinais que as crianças dão quando estão prontas para deixarem as fraldas?

 

Para se levar em conta os sinais que as crianças dão, é interessante saber inicialmente em que fase da infância as crianças conseguem ter controle dos esfíncteres. Este controle depende de um amadurecimento neurológico e, com o xixi e o cocô, se dá em tempos diferentes. O controle do cocô acontece por volta de 1 ano e 10 meses e o do xixi diurno, por volta de 2 anos de idade. Já, no caso do xixi noturno, este controle pode demorar até 5 anos ( para desespero de muitas mães).  É também importante entender que existe o amadurecimento neurológico mas também há um amadurecimento psicológico que acompanha este processo. E é justamente aí que os problemas podem começar, pois uma criança pode estar apta neurologicamente falando, mas não aceitar largar as fraldas, o que atrapalha todo o processo de desfralde.

 

Há alguns sinais típicos de que uma criança consegue ter controle do cocô. Um deles é quando ela se “retira” para um canto mais isolado e se concentra no processo de evacuação. Depois ela volta e avisa que fez cocô (ou a mãe percebe pelo cheiro clássico). Algumas não se dão ao trabalho de se retirar. Concentram-se com aquela carinha típica de que estão evacuando, no lugar em que estiverem. Mas você nota que elas pararam para evacuar, ou seja, controlam a evacuação naquele determinado momento.

 

Já o xixi, eu costumo perguntar: quando sua criança vai tomar banho, ela faz xixi no boxe logo que entra? Se a resposta é afirmativa, há grande chance de já haver um controle do xixi, pois ela tem esta atitude ao tomar banho voluntariamente, ou seja, de forma controlada. Quando isto é percebido, pode-se iniciar o desfralde e a criança deverá ser levada a cada 2 horas aproximadamente, para fazer xixi. Os escapes costumam acontecer principalmente quando as crianças estão concentradas brincando e se esquecem de pedir para ir ao banheiro. Por isto é importante se adiantar e levá-las, mesmo que não tenham pedido.
 

 

Desfraldar no verão é mais fácil para a criança e a família?

 

Como a criança fica de calcinha ou de cuequinha e, frequentemente, há escapes, toda a roupa fica molhada. Com certeza, no verão este processo acaba sendo mais fácil, porque o número de peças para lavar acaba sendo menor e pode-se até deixar a criança só de calcinha ou cuequinha em casa, porque está calor, coisa que no frio é mais difícil. A única diferença é esta e diz respeito principalmente à facilidade com que a família lida com o processo, havendo pouca influência das estações do ano com relação à facilidade para a própria criança.

 

Quanto tempo deve-se esperar para iniciar o desfralde noturno?

 

O controle do xixi noturno tem um processo neurológico diferente do diurno. Ele depende de mais fatores, inclusive hormonais, que podem levar algum tempo para atingir sua maturação. Este tempo é considerado normal até os 5 anos de idade e passamos a considerar que uma criança tem enurese noturna, ou seja faz xixi na cama de forma patológica, quando este processo se estende além dos cinco anos de idade. É muito frequente ocorrer esta demora em crianças em que um dos pais também teve o mesmo problema, denotando que este é um processo regido por uma genética familiar.

Ao contrário do desfralde diurno, em que tiramos a fralda e levamos a criança de tempos em tempos ao banheiro para fazer xixi, à noite só tiramos a fralda quando a criança começa a acordar com a fralda seca dias e dias seguidos. Quando isto ocorrer, a mãe pode dizer adeus à gôndola de fraldas do supermercado ( #sensaçãomaravilhosa).

 

 

  "Meu filho já faz xixi no vaso na boa, mas o cocô ele só faz na fralda." É normal?

 

Nesta situação, a criança tem todo o controle neurológico amadurecido, tanto do xixi como do cocô. Porém, ainda não está psicologicamente madura para usar o vaso sanitário para fazer o cocô. Utilizar a fralda para uma transição, ou seja, só colocá-la quando a criança quiser evacuar, pode ser uma forma de aguardar esta maturidade ser atingida. Porém, dificilmente a criança vai, de forma ativa e espontânea, dizer que não quer mais a fralda e, a partir daquele dia, vai fazer cocô no banheiro.

Se a criança já está perto dos três anos, já domina bem a fala, ou seja, a mãe já percebeu que não há mais um porquê para usar fralda, cabe a esta mãe conversar com a criança, criar um ambiente positivo e motivador para que isto aconteça. O início deve se dar com a decisão de que, uma vez decidido, decidido está, porque, se voltar atrás, ficará muito mais difícil da próxima vez. O aviso para a criança deverá ser dado alguns dias antes, dizendo que as fraldas estão acabando e que não haverá mais fraldas daqui a um tempo. Até que o dia chegará. Na maioria das vezes, a criança não se conforma muito fácil, mas é importante a mãe ficar firme na sua decisão. Pode ocorrer uma retenção voluntária das fezes por parte da criança e este pode ser um problema sério se não for encarado com o devido respeito, pois poderá levar a dor durante a evacuação, o que fará a criança reter mais ainda as fezes, criando um círculo vicioso. Antes disto acontecer, ou seja, ao menor sinal de retenção, é importante ter o pediatra a postos, pois a manutenção das fezes amolecidas evita que haja dor, levando a uma piora do problema. Para isto, algumas vezes, pode até ser necessária a prescrição de laxantes para ajudar no processo, o que será decidido pelo médico. Esta situação é transitória , mas, se for bem administrada, não costuma durar muito tempo.

 

Como funcionam essas técnicas de “recompensa” (por exemplo, para cada xixi “certo” no penico a criança ganha um adesivo)?

Eu costumo explicar que o controle do xixi e do cocô tem muitas vantagens para a família, mas, de certa forma, para a criança há uma perda de algumas regalias, como por exemplo, aquele momento íntimo em que alguém lhe pegava para trocar sua fralda e lhe dava atenção exclusiva. Sem fraldas, fazendo tudo sozinha, esta atenção se reduz bastante. Ou seja, precisamos algumas vezes tornar interessante o fato de não usar mais fraldas e criar “vantagens” objetivas para a criança. As técnicas de recompensa entram justamente no processo desta forma. Para utilizar esta técnica, deve-se tornar o processo bem visual, com uma folha de cartolina em que se desenham quadradinhos , onde são colados adesivos, a cada sucesso alcançado. É interessante definir metas fáceis de alcançar, como por exemplo, com dois ou três quadradinhos preenchidos, um pequeno presentinho é recebido ( pode-se até desenhar: 1 quadradinho + 1 quadradinho + 1 quadradinho = 1 presentinho). A meta vai ficando mais difícil à medida que a criança se envolve bem com o processo. Isto pode dar certo com algumas crianças, mas não com todas. Mas vale a pena tentar. 

Tags: Desfralde
Postado na sessão Blog por Roberta
Logar com:


Cadastre-se Recuperar Senha