Consumo & Infância

Carta aberta para minha família: nessa páscoa não comprem ovos corruptos para meus filhos

Mamãe, sogrinha, titio ou vovô.

Você me viu transformar em menina à mãe. Menino à pai. E hoje eu estou aqui fazendo o meu melhor para cuidar de uma coisinha - como se fosse possível - mais querida do que eu era, quando cabia nos seus braços. Aproveito para te agradecer por ter cuidado bem de mim, mas hoje eu preciso te pedir ajuda com um troço que anda me preocupando muito na vidinha do meu rebento: ovos de páscoa corruptos. 

Nessa onda maravilhosa de protestos contra a corrupção acho impresciendível que a gente comece a olhar além das falcatruas do governo, para as picaretagens da indústria. Que nesse caso afetam diretamnete nossos filhos. Ovos de páscoa corruptos são aqueles cheios de publicidade infantil, que no país, é ilegal.

Eu estou convencida que consumir com consciência é fazer parte de um Brasil melhor. E você?


Sim, você vai achar exagero. Mas eu garanto que se continuar lendo minha cartinha, vai concordar comigo de coração.
Acontece que no ano passado, foi publicada uma resolução do Conanda - que é o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente - que considera a publicidade infantil abusiva.

Isso quer dizer basicamente que o Brasil está tentando se alinhar às tendências dos países de primeiro mundo, como a Suécia, Finlândia e Dinamarca, para colocar regulação eficiente na publicidade dirigida para criança. Eu também achava isso meio nonsense, até começar a prestar atenção. Veja só: criança de acordo com o código do consumidor, não é consumidor. Criança não tem condições de discernimento para entender as relações de mercado. Uma criança, não pode por exemplo, assinar um contrato de compra de nada. E ninguém na nossa família daria o cartão de crédito e a senha para uma de nossas crianças decidirem as compras do mês, certo? Então porque o país ainda permitia que os anunciantes falassem direto com elas? Se não é comprador, porque pode ser alvo de publicidade? Puxa, entre tantas outras coisas que provam por A mais B o quanto a publicidade faz mal para a criança, em vários aspectos desde o desenvolvimento emocional até questões éticas. Você pode ler mais sobre isso aqui.

Mas junto com essa história de não poder anunciar para quem não pode decidir, ficou também definido que o LICENCIAMENTO de personagens para fins de motivação de consumo por parte das crianças também é publicidade abusiva. E publicidade abusiva é proibida no país, na constituição federal. Aliás, você sabe o que é licenciamento?

É quando o dono de um personagem (que a gente curte e as crianças adoram, mas na verdade não passa de uma marca) empresta essa imagem para agregar valor a algum outro produto. Tanto os licenciadores como as empresas que licenciam seus produtos sabem que essa é uma mina de ouro, porque as crianças, você sabe, se apaixonam por personagens. Então na hora de "escolher" algo, sempre vão operar pelo sentido que lhes domina: o afeto. E nunca vão compreender, até que se tornem adultos, que essa é uma relação comercial de ganho para as duas empresas envolvidas, e dano para o consumidor: que paga mais caro para cobrir os royalties do licenciado. E como os adultos - que na nossa sociedade, estão meio crianças - não fazem a mais vaga ideia do golpe de mestre que isso significa, acabam caindo nas tramóias da indústria e eles mesmo, oferecendo muitos e muitos licenciados para os filhos. Claro, quem não quer ver o filho feliz né? 

E você, sabe, você é da família: não adianta a gente dizer que é responsabilidade apenas dos pais dizerem NÃO. E também não adianta dizer que essa é uma questão de "opinião" e que deve ser gerida por cada família. Exatamente porque, enquanto estamos sozinhos, estamos vulneráveis e as leis - até o Conanda - não davam conta e proteger a criança, mas favoreciam as indústrias. É preciso uma vila para criar uma criança, e hoje qualquer mãe e pai mais antenado no assunto já entende que essa responsabilidade deve ser partilhada com o mercado. E eu concordo.

Pois bem: nessa páscoa, os licenciados vieram com tudo. Corruptos! Corrempendo todas as balizas éticas e textos legais, como sempre. Os ovos de páscoa licenciados carregam tudo o que é proibido pela resolução em combinado com a constituição federal, o código de defesa do consumidor e o estatuto da criança e do adolescente.

Veja você:

- usam de personagens infantis para aumentar desejo de consumo por parte das crianças e bater as metas de lucro: não pode.
- anunciam diretamente seus produtos nos espaços infantis, como os canais de TV, e coletivos, como os pontos de venda em supermercado: não pode.
- carregam dentro da embalagem brinquedos e brindes que também tem o objetivo de aumentar o desejo de consumo, fazendo a venda casada que também: não pode. 

Existem outras coisas que não são reguladas, mas que também temos que saber sobre esses ovos:

- Estão superfaturados com relação aos chocolates comuns, apenas pelo formato e essa tendência louca de consumo de fazer as datas comemorativas parecerem mais importantes se a gente gastar dinheiro.
- Tem receita duvidosa, cheios de gordura saturada e açucar mais que chocolate. Terrível! Quando pensamos em coisas para as crianças, não poderíamos pensar nas melhores receitas? Você faz assim na sua casa né? 
- Aqueles que carregam brinde fazem compras astronômicas em conteiners na China e na Indonésia, muitas vezes fabricados em trabalho análogo à escravidão. Muitas vezes pelas mãos de crianças.

Então tendo explicado tudo direitinho, é por isso tudo que eu venho te pedir encarecidamente: NÃO COMPRE OVOS DE PÁSCOA LICENCIADOS PARA MEUS FILHOS. OVOS CORRUPTOS!

 



Morre nada! Mas certamente entra em depressão, você concorda? ;)

 

Ele vai adorar sua presença, uma carta, uma caça aos ovos, mesmo que sejam de mentirinha. Se fores comprar chocolate, prefira os artesanais, que não estão em situação ilegal. Se tiver paciência, venha aqui em casa fazer uma receita de bolo, vai ser melhor que um ovo mal ajambrado de qualquer personagem que seja.

Eu sei que sua intenção de agradá-los está acima de muitas coisas. Mas não pode estar acima da nossa consciência de estarmos fazendo - mesmo - o que é melhor para nossos filhos e nossa sociedade. E como você pode ver, como pais e mães, tios e tias, vocês fizeram um bom trabalho comigo, que me tornei questionadora e capaz de discernir sobre o certo e o errado. Pelo menos quando o assunto é ovo de páscoa ;)

Eu sigo aprendendo, me permitam dividir com vocês.

Se quiserem saber mais sobre o movimento de pais e mães contra a publicidade infantil, acompanhem o trabalho do MILC.
Se quiserem ver de onde eu ando tirando essas ideias, veja essa fanpage do Mamatraca que reúne assuntos da mater/paternidade contemporânea de uma forma bem questionadora, e o mais legal: livre dos interesses da indústria, porque não aceita patrocínio.
Se quiserem ler mais sobre o panorama dessa resolução e da publicidade infantil no país, leiam aqui.
Se ficarem, como eu, enojada dessa indústria terrível que só quer tirar proveito dos nosso pequenos, denunciem também. 

Esperamos que com os ovos corruptos encalhados nas prateleiras e algumas reclamações dos consumidores esse seja o último ano de abuso comercial infantil na páscoa. E quem sabe em todas as outras datas. 

Beijos! 

 

{ Seu nome aqui } 

 


 

Tags: consumo, consciência, publicidade
Postado na sessão Blog por Anne
Logar com:


Cadastre-se Recuperar Senha